29 Abril, 2014
O enfermeiro director convocou os enfermeiros a CIT para uma reunião a 24 de Abril onde lhes apresentou uma proposta de passarem para 40 horas por 1165€. SEP considera proposta insultuosa.

 

Segundo o SEP toda a enfermagem ficou indignada com a proposta e ainda mais com a forma ardilosa como a mesma foi apresentada. Afirma mesmo que é a continuação da exploração. Segundo a mesma fonte, os enfermeiros estiveram à altura e rejeitaram liminarmente a proposta e desmontaram a argumentação apresentada.

Inadmissivelmente a administração propôs que os enfermeiros passassem para as 40 horas com um vencimento de 1165€ assumindo que os novos que vierem a admitir sê-lo-ão com 1201,48€.

Por mais 20h/mês e mais de 200h/mês com os cortes e impostos o valor proposto pela administração é… quase nada. E, a administração parece querer esquecer que todos os enfermeiros fazem mais do que as 35 horas/semana e mais que as 140h no período de referência das 4 semanas, horas que deveriam ser pagas como trabalho extraordinário e não são.

Segundo a mesma fonte sindical, a luta dos enfermeiros do centro hospitalar, nomeadamente dos que exercem funções no hospital de Portimão é de passarem para as 35 horas e não a harmonização nas 40.

SEP contesta também a argumentação da administração quando afirma que a alteração que propõe não é ao contrato mas sim ao regime de trabalho. Nada mais falso, afirmam, a alteração do horário para as 40 horas faz-se no SISQUAL e, para alterar o vencimento só o pode fazer com uma alteração ao contrato e com o acordo de ambas as partes. Curioso é considerarem que têm autonomia para proceder a esta alteração mas já não o tenham para vir de encontro à exigência do SEP que é 35 horas e 1201€ para todos, independentemente do vinculo.

Os enfermeiros devem marcar posição e continuar a lutar pelas 35 horas a 1201€.

O SEP apela à participação de todos na reunião agendada para o 2 de Maio às 16 horas no auditório.