11 Maio, 2018
Ações institucionais de luta pela exigência da contratação imediata de enfermeiros
No dia 12 de maio comemora-se o Dia Internacional do Enfermeiro. A contratação de mais enfermeiros continua a ser a base para a resolução dos problemas na enfermagem.

 

E, se relativamente a outras áreas, o Primeiro-Ministro assume um discurso sobre a necessidade de apostar na prevenção, já na saúde os alertas sobre a falta de enfermeiros, o cansaço físico e psicológico das equipas de enfermagem, a ausência de condições de prestação de cuidados em segurança, o consequente aumento do absentismo, entre outros, parecem não fazer eco no governo.

Neste contexto de não resolução dos problemas e tendo por base a exigência da contratação de enfermeiros, estão agendadas as seguintes ações institucionais de luta:

  • Hospital de São João | 17 de maio, greve e concentração (11h30 às 13h00)
  • Centro Hospitalar do Oeste | 18 de maio, concentração (9h00 – entrada do Hospital das Caldas da Rainha)
  • Hospital Fernando da Fonseca, Amadora | 22 de maio, greve (10h30 às 12h30) e concentração (11h00)
  • Centro Hospitalar Lisboa Norte | 24 de maio, greve (10h30 às 12h30) e concentração (11h00 à porta do Hospital de S. Maria)
  • Centro de Medicina Física e Reabilitação do Centro – Rovisco Pais | 29 de maio, greve e concentração
  • Unidade Local de Saúde de Matosinhos | 30 de maio, greve
  • Centro Hospitalar Lisboa Ocidental | 1 de junho, greve (10h30 às 12h30) e concentração (11h00 à porta do Hospital S. Francisco Xavier)
  • Hospital de Guimarães | 5, 6 e 7 de junho, greve
  • Unidade Local de Saúde do Alto Minho | 26, 27 e 28 junho, greve
  • Centro Hospitalar Cova da Beira | 11 de maio, plenário para decidir formas de luta
  • Unidade Local de Saúde de Castelo Branco | 14 de maio, plenário para decidir formas de luta
  • Hospital de Santarém | 17 de maio, plenário (14h30 – Auditório do hospital) para decidir formas de luta
  • Centro Hospitalar Tondela-Viseu | abaixo-assinado já enviado aos Ministros da Saúde e Finanças

 

AÇÃO NACIONAL DE LUTA

última semana de junho
Pela admissão de enfermeiros, justo descongelamento das progressões a todos os enfermeiros, suplemento remuneratório para enfermeiros especialistas.

 

AÇÃO DE LUTA NAS PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS (PPP)

primeira semana de julho
Pela harmonização de direitos e condições de trabalho, nomeadamente salários e 35 horas semanais.

A não-autorização para contratar profissionais de saúde e trabalhadores para o setor da Saúde tem tido como consequência o aparecimento de listas de espera em instituições que tradicionalmente não as tinham e o seu aumento na maioria dos restantes.

Daqui resulta o envio de doentes para o setor privado, que “agradece”.

Importa por isso que o Ministério da Saúde e o governo esclareçam se o seu objetivo é defender ou levar à RUPTURA o SNS, já que muitas são as administrações hospitalares que ponderam encerrar camas e serviços.

 

 

Nota enviada à comunicação social a 11 de maio de 2018.