24 Março, 2020
Quando tivemos conhecimento da emergência que se vive na Santa Casa da Misericórdia de Resende, lançámos um apelo às entidades competentes no sentido de se evitar uma situação de catástrofe.

 

Como já foi noticiado pela comunicação social, há 10 utentes com resultado positivo ao COVID-19, na Unidade de Cuidados Continuados desta Santa Casa.

Acresce a esta situação dramática a possibilidade das coisas piorarem mais ainda, uma vez que se aguardam os resultados de outros testes que a própria instituição mandou fazer (ao todo a 18 utentes do Lar – todos acamados – e a alguns funcionários) que, como será de prever, tem grandes probabilidades de serem positivos.

Neste momento, trabalham na instituição 3 enfermeiros (sendo dois deles prestadores de serviços – Recibos Verdes), uma vez que os restantes ESTÃO TODOS EM QUARENTENA por contacto e por prestação de cuidados diretos aos utentes infetados.

Estes enfermeiros estão a trabalhar sem quaisquer condições físicas, humanas e de proteção:

  • Trabalham 24 horas seguidas com períodos de repouso de apenas 8 horas entre elas;
  • Não há na instituição Equipamentos de Proteção Individual.

A Instituição já assumiu ter esgotado todos os recursos que tinha definido no seu plano de contingência, não ter capacidade de resposta e até já ter alertado a Direção Geral da Saúde da qual não obteve qualquer resposta ou ajuda.

Para conhecimento de todos anexamos aqui ofício que enviámos para a Sra. Ministra da Saúde.

Nota enviada aos media a 24 de março de 2020.