19 Março, 2020
Para vós, enfermeiros italianos, um forte abraço de todos os enfermeiros portugueses.

 

Caros colegas,

O combate à pandemia do COVID – 19 requer da nossa parte, enfermeiros uma coragem e uma força que, por vezes, pensamos não ter.

A situação que vocês, colegas italianos, estão a vivenciar é profundamente dramática, não só pelo numero de cidadãos infectados mas também pela numero de mortos.

O elevado número de vidas humanas já perdidas neste combate, para nós, enfermeiros que abraçámos esta profissão para salvar vidas, é mais um factor de desânimo, de desgaste.

Expressamos a nossa tristeza por todas as vidas já perdidas mas não podemos deixar de vos dizer: ânimo porque muitos outros terão a possibilidade de sobreviver fruto do vosso heróico trabalho.

Nós, enfermeiros portugueses, como vós e provavelmente os enfermeiros de todos os países, sabemos que fruto das medidas de austeridade dos nossos governos, os cortes que nos impuseram, as restrições nas admissões de mais enfermeiros e os cortes nos equipamentos das nossas instituições de saúde teve como consequência chegarmos a este momento muito mais fragilizados.

Somos poucos enfermeiros em todos os países.

Os Serviços Nacionais de Saúde de todos os países estão mais frágeis por causa dos nossos governantes, por causa das politicas da União Europeia, por causa das orientações do Banco Central Europeu.

Chegará o momento de, todos os enfermeiros europeus se unirem nos pedidos de responsabilização desses governantes e exigir que situações como a que hoje vivemos não aconteçam e, caso aconteçam, que todos estejamos mais e melhor preparados.

Caros colegas,

Neste combate as nossas armas são a solidariedade, a disponibilidade, a resiliência, a ética e a deontologia. Os nossos camaradas de combate são os doentes e os nossos cidadãos. Juntos venceremos.

Para vós, enfermeiros italianos, um forte abraço de todos os enfermeiros portugueses.

A Direção Nacional do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses