8 Novembro, 2018
Aposentação mais cedo dos enfermeiros é justíssima.

 

A enfermeira Alice tem 63 anos e sempre trabalhou no hospital público onde hoje exerce funções. Começou a trabalhar aos 22 anos e tem 41 anos de descontos para a Caixa Geral de Aposentações.

Sempre trabalhou a turnos, aos fins de semana e feriados e teve dificuldades no acompanhamento dos seus dois filhos. Como agora, ainda a trabalhar a turnos para que as colegas mais novas possam exercer os seus direitos de parentalidade, tem dificuldade em estar presente no desenvolvimento das quatro netas.

Exerceu em vários serviços e está agora, há cerca de 15 anos, no serviço de medicina. Nos últimos anos o perfil dos doentes internados alterou-se muito: são mais idosos e com várias doenças (cardíacas, respiratórias, urinárias, diabetes, obesidade). Ou seja, doentes mais dependentes e mais frágeis, que requerem mais cuidados de enfermagem e maior vigilância.

Sucede que a enfermeira Alice, com os seus 63 anos de idade e 41 de trabalho, também já tem, entre outros, problemas visuais, lombalgias e três hérnias discais de tanto posicionar doentes. Faltam-lhe ainda cerca de quatro anos para a reforma. O seu esforço e profissionalismo para cuidar dos outros é inimaginavel. A necessária aposentação mais cedo dos enfermeiros é justíssima.

 

CORREIO DA SAÚDE
Artigo de José Carlos Martins, Presidente do SEP
Publicado no Correio da Manhã 08-11-2018